Pesquisa avalia impacto ambiental de diferentes meios de transporte

11/02/2021

Um estudo desenvolvido pela Fundação Espaço ECO e pelo Instituto Akatu busca entender o impacto da mobilidade urbana a partir das condições brasileiras. A pesquisa usou a metodologia de Análise de Ciclo de Vida (ACV) para analisar os diferentes meios de transporte usados nas cidades em toda a cadeia: produção do equipamento, transporte em toda cadeia, uso, manutenção e descarte.

A cidade de São Paulo foi escolhida como foco, graças à diversidade de alternativas de modais e hábitos de consumo da população, além do acesso a bases de dados existentes e secundários para reunir as informações que permitiram as análises.

Na pesquisa com base na ACV, é considerado o desempenho ambiental de cada alternativa de transporte, sem considerar outros fatores na escolha do consumidor, como o econômico, o social, a conveniência, o conforto e a segurança. Os principais meios de transporte estudados foram a bicicleta, o patinete elétrico, motocicleta, carro, ônibus e metrô.

Cada um apresenta maior impacto ambiental em alguma parte do processo, seja na produção, devido aos materiais usados na base, ou no uso devido à queima de combustíveis fósseis, como também na manutenção ou descarte.

A bicicleta, por exemplo, é um meio de transporte que não utiliza combustível para locomoção, mas a sua produção envolve materiais como o aço e alumínio, que geram impactos significativos. As motocicletas e os carros geram maior impacto no uso e manutenção, devido à utilização de gasolina como combustível, cuja queima libera CO2, gás de efeito estufa que contribui para o aquecimento global. Os transportes coletivos, como ônibus e metrô, sendo um serviço público, circulam independentemente de quantos passageiros carregam.