Ecologia e Cidadania recebe Movimento Mineiro pelos Direitos Animais

27/08/2018

Com 15 anos de militância e uma das fundadoras do MMDA – Movimento Mineiro pelos Direitos Animais, Adriana Araújo é a entrevistada da semana do Ecologia e Cidadania, programa veiculado diariamente pela Rádio Web Ponto Terra.

A grande marca do movimento é o ativismo político e a convergência dos interesses da sociedade civil organizada, e não especista, pela ação voluntária.

Entretanto, “por mais que nós da sociedade civil tenhamos um importante papel a cumprir, a responsabilidade primeira é do poder constituído”, destaca. Assim, “apesar dos direitos animais estarem amparados pelo Artigo 225 da nossa Constituição Federal, não vemos os resultados acontecerem”, completa.

Como representante do Movimento e buscando uma sinergia de ações entre a sociedade e a nossa esfera política, Adriana foi indicada para concorrer às eleições 2018 como deputada federal pelo Psol. O objetivo, segundo ela, é continuar o processo de uma construção coletiva, legítima e permanente.

O ponto de partida é escrever projetos de lei e mobilizar a população, conscientizando-a da importância de aprovar esses projetos. “É preciso executar as leis, porque não basta somente sancioná-las. Precisamos criar órgãos públicos, indicar e mobilizar pessoas que sejam verdadeiramente qualificadas e vocacionadas para ocuparem os cargos de gestão e não de forma política”, enfatiza a entrevistada.

Na entrevista, Adriana ressalta ainda a interface desse trabalho com pauta ambiental, sendo crucial a necessidade de se trabalhar no eixo da preservação ambiental e da destinação de recursos.

“Está tudo interligado. Precisamos garantir orçamento para essas ações e agir na defesa das nossas águas, da nossa fauna, dos nossos biomas, das nossas florestas e  dos nossos solos, ao invés do habitual investimento em exploração do meio ambiente de forma sustentável”, salienta a candidata do Psol.

Outro objetivo pretendido, segundo Adriana, é trazer um programa permanente de conscientização da população para uma forma de viver ecocêntrica, conceito que inclui uma forma de viver mais simples, mais respeitosa, a começar pela forma de se alimentar.

Dessa forma, mais do que denunciar, simplesmente, “é preciso garantir formação política e educação, dar voz ao movimento que está nas ruas e ao movimento que pulsa em Minas e em todo o Brasil e que não se vê representado no parlamento, atualmente”, conclui.

O Programa Ecologia e Cidadania vai ao ar todos os dias às 9h da manhã, com reprise às 15 e 21h, na Rádio Web Ponto Terra.

Fonte: Ascom Ponto Terra