Dinamarca faz acordo histórico para taxar carbono das empresas

18/08/2022

O Parlamento dinamarquês aprovou o que pode se tornar o imposto mais alto do mundo sobre emissões de gases de efeito estufa para indústrias e energia. A taxa, que será introduzida gradualmente a partir de 2025, ainda não engloba a agricultura, que será objeto de nova negociação ainda este ano. Com a inclusão da agricultura e o transporte já contemplado por uma taxa ainda mais severa, o novo esquema fiscal cobrirá todos os setores da economia dentro das fronteiras dinamarquesas.

“Este é um grande dia para o nosso clima. Isto garantirá que será o poluidor quem pagará por suas emissões – ao mesmo tempo em que damos apoio direcionado à transformação verde das empresas”, declarou Jeppe Bruus, Ministro da Tributação da Dinamarca.

Globalmente, 46 países já contam com alguma taxa de carbono em operação, cobrindo 22% das emissões globais. Todos os países escandinavos têm um imposto de carbono, e o da Suécia é atualmente o mais alto, com EUR 114/tCO2e, sem incluir outros gases de efeito estufa além do CO2. A taxa da Dinamarca será de aproximadamente 150 euros quando estiver totalmente implementada em 2030.

O resultado esperado do imposto é uma redução de 4,3 milhões de toneladas de dióxido de carbono em 2030 e 1,3 milhões em 2025. Segundo o anúncio oficial, isso colocaria a Dinamarca no caminho certo para sua meta de redução de 70% até 2030 em relação aos níveis de 1990.