Cidade na Malásia é sufocada com 17 mil toneladas de lixo

18/02/2019

Com 30 mil habitantes, a pequena cidade de Jenjarom, na Malásia, está sufocada por 17 mil toneladas de resíduos. Isso aconteceu depois que o país asiático se tornou um dos maiores importadores de plástico do mundo, recebendo, inclusive, o lixo que o resto do mundo não quer.

A Malásia imposta resíduos plásticos provenientes principalmente do Reino Unido, dos EUA, do Japão e da China. De janeiro a julho de 2018, cerca de 754 mil toneladas de resíduos plásticos foram importados pela Malásia.

A cidade de Jenjarom sofre mais com essa prática do governo malaio pela sua proximidade de Port Klang – maior porto do país e porta de entrada da maior parte das importações de plástico.

Com a esperança de obter lucro rápido com a promissora indústria de reciclagem, avaliada em mais de 3 bilhões de ringgits malaios (cerca de R$ 2,7 bilhões), usinas ilegais de reciclagem de plástico começaram a surgir pelo país.

De acordo com o Conselho de Estado, havia 33 fábricas ilegais em Kuala Langat – distrito em que a cidade de Jenjarom está localizada. Algumas foram instaladas perto de densas plantações de dendê, outras mais perto da cidade.

Como nem todo plástico pode ser reciclado, as usinas clandestinas optam por descartar o resíduo sem pagar nada, de forma insalubre – enterrando, ou mais comumente, queimando – o que causado graves problemas de saúde para os moradores do local.